Elias Daher

gallery/business_group2logo

Inovação   e   desenvolvimento   profissional

 

Transformação Digital

 

Apesar de ter se tornado um caminho essencial para as empresas, especialistas afirmam que mais da metade dos programas de Transformação Digital resultam em fracasso. Gigantes como a Ford e a GE tiveram que desacelerar seus programas de modernização, pelo fato de não respeitar as fases e os requisitos deste processo.

 

A jornada digital custa caro e demora para proporcionar retorno ao investimento. Isso incomoda os acionistas ou a alta direção da empresa, que precisam estar cientes da necessidade e também do tempo de maturidade. Exemplo: as ferramentas de chatbot (o robô que faz atendimento sem interferência humana) possuem preços elevadíssimos e demoram para "aprender", o que só acontece com a prática e diante de um grande volume de dados. 

 

 

 

Requisitos

 

 

Patrocínio da alta direção - Toda inovação precisa do apoio da diretoria. Do contrário, os líderes intermediários vão se digladiar para definir os papéis neste processo. Paralelo a isso, alguns departamentos podem se recusar a participar do processo, sem que os colegas de mesmo nível, possam exigir o engajamento. Quando a exigência parte do presidente da organização, com responsabilidades claramente definidas, o principal desafio é eliminado.

 

Uso indiscriminado dos talentos internos - Muitas organizações, mesmo sem possuir especialistas na área, iniciam o projeto a partir de pesquisas na Internet e cursos de curta duração, o que é pouco para a complexidade do tema, que envolve a harmonização dos custos com as necessidades. A transformação digital criou novas profissões, como cientista de dados, arquiteto de escolhas, que tendo participado de implementações em outras empresas, terão a experiência necessária para lidar com as dificuldades.

 

A Capgemini realizou uma pesquisa entre executivos, que elegeram a Cultura Organizacional como o principal desafio da transformação digital. No entanto, a cultura não representa um problema, mas a inobservância dela, sim. A jornada não é uma grande revolução, mas uma sucessão permanente de pequenas implementações. Esta estratégia colabora para a necessária mudança da cultura para receber a inovação.

 

O processo digital envolve computação em núvem, maior presença no ambiente virtual, o que cria necessidades de investir em segurança da informação. Não adianta se modernizar ao mesmo tempo em que se coloca os dados corporativos e dos clientes em risco.

 

Outro aspecto negligenciado é a Gestão da Mudança. Considere que você se encontra em um cenário atual e deseja atingir outro patamar. Existe uma ciência para lidar com o fator psicológico das pessoas, e, no final, tudo se resume a uma questão de gente.

 

Dificilmente uma consultoria acompanha as implementações que sugere. Fazem estudos, produzem um relatório e vão embora. Profissionais sabem que nem sempre as reações são proporcionais aos estímulos. Surgem dificuldades, fatores não previstos, mudanças no mercado e no momento da prática, o planejamento precisa ser ajustado. Isso deve fazer parte das obrigações da contratada. - Há no mundo corporativo, uma grande quantidade de papel que custou milhões mas não consegue produzir resultados.